5 de mar de 2014

Livro: Eu Sou o Número Quatro – Pittacus Lore


Autor: Pittacus Lore
Editora: Intrínseca
Ano: 2011
Páginas: 352
Gênero: Ficção Científica; Extraterrestres; Aliens; Aventura; Ficção; Ação; Romance;


Eu Sou o Número Quatro marca o início da série Os Legados de Lorien de Pittacus Lore – pseudônimo dos autores James Frey e Jobie Hughes – que aparece como o ancião a quem foi confiada à história dos lorienos. A série está em seu quarto volume e é uma das minhas séries favoritas. Então vim dividir o começo da jornada de John ou Quatro com vocês. Primeiro quero explicar de onde surgiu minha curiosidade em compra-lo e minha relação de amor e ódio com a série. Vou tentar deixar o mais livre de spoiler que eu conseguir, sem deixar de apresentar os personagens a vocês.

Tenho uma teoria interessante: “Às vezes você escolhe o livro e às vezes é ele que te escolhe”. No meu caso, eu fui escolhida. Foi em uma das minhas voltas pelo sebo do bairro onde me deparei com ele pela primeira vez. Olhei a capa e ela não me atraiu nenhum pouco. Passeei pelas outras prateleiras e acabei chegando a ele novamente. Fui ler a sinopse e adivinhem?! Não havia uma sinopse decente. Pelo contrário eram apenas algumas frases soltas. Fui ler as orelhas do livro e acabei descobrindo que era uma história com aliens. Fiquei apreensiva porque apesar de ser um tema que me interesse tenho receio por conta de uma professora de português que tive no primeiro colegial. Quando me dei conta o livro já estava na minha estante começando uma pequena notável coleção. Ele ficou esquecido na caixa literária que eu tinha e em um daqueles dias de Telecine com sinal aberto me deparei com o filme desse livro. Assisti ao filme e depois fui ler o livro: apesar dos efeitos especiais o livro não chega nem aos pés da emoção que senti com o livro. E então minha resenha se inicia finalmente.

No começo do livro sabemos apenas que os três primeiros números foram mortos e que o próximo é o número quatro. A questão é quem é o número quatro? Onde está o próximo? Por estarem sempre fugindo desde que chegaram ao planeta Terra não sabemos exatamente sua identidade. Cada hora um lugar diferente com uma identidade diferente. Começando com a morte de Daniel Jones e seu tutor. Uma nova viagem e uma nova identidade. Dessa vez ele é John Smith e seu tutor Henry. Eles chegam a uma pequena cidade chamada Paradise, Ohio e precisam passar despercebidos, porém cansado de viver isolado e procurando por uma vida normal John quer frequentar a escola novamente. A única regra? Passar despercebido. Porém nunca é fácil ser o garoto novo do colégio. Você sempre será a nova atração. E é assim que logo no primeiro dia de aula ele conhece Sarah, a fotógrafa não oficial da escola. E também logo arruma briga com os valentões de lá conhecendo o nerd viciado em aliens e perseguido pelos mesmos valentões do colégio, Sam. 


Mesmo sabendo que é de outro planeta John quer ter uma vida normal. Para entenderemos um pouco sobre a trajetória de John nos deparamos com a seguinte história: Quando as nove crianças do planeta Lorien são mandados para a Terra pelos anciões do planeta eles se espalham levando apenas suas arcas e seus guardiões. Eles precisam ser treinados, pois há poderes que estão para se desenvolver com o tempo. Eles são guerreiros e precisam lutar contra os vilões do planeta Mogadore. Os Mogadorianos estão caçando os Lorienos em sequencia para que a raça se extinga de uma vez. Desde pequenos eles sabem apenas que precisam encontrar uns aos outros para conseguirem salvar o planeta adormecido. Essas nove crianças só podem ser mortas na sequencia e por isso que John é o próximo. Ele é o número Quatro. Todas as crianças receberam poderes, mas não sabem como usá-los até que se desenvolvam completamente, esses poderes são chamados de Legados. Por isso o nome da série. Eles precisam se unir, pois só assim são mais fortes para as batalhas.

Apesar de ter muita ação, o primeiro livro acaba focando mais nas relações pessoais que John faz no colégio e também no aparecimento e desenvolvimento de seu primeiro legado. Desde sua amizade com o leal Sam até seu romance com Sarah. Henry ensina John a controlar seu legado e então começa a ficar interessante. Apesar de adorar a série tiveram alguns pontos que fizeram cair minhas estrelinhas aos poucos. O romance entre Sarah e John apesar de ser uma novidade para ambos é meloso demais e com isso meia estrelinha foi perdida. Depois o que me fez me cansar um pouco do primeiro volume foi que tudo era muito fácil. As reações não foram reais. Pensa comigo se alguém chegasse pra mim e dissesse que era de outro planeta eu iria chorar de rir sem acreditar e caso ele quisesse provar que era mesmo de outro planeta eu fugiria correndo. No livro não, o diálogo foi mais ou menos assim:

- Hey, eu sou um extraterrestre.
- Ah, tudo bem.
- Não!!! Eu sou realmente um extraterrestre.
- Quer ser meu melhor amigo/quer ser meu namorado?

Tipo... Não!!! Cadê o pânico?! Não teve. Isso deixou um pouco a desejar. Tirando essas duas partes o livro é excelente. Se você já leu ou se ainda não leu nenhum livro da série e depois da minha resenha ficou com vontade de ler... Leia. Posso garantir que melhora no segundo volume. Mas isso eu só conto na próxima semana. Março será o mês da série ‘Os Legados de Lorien’. Não percam! Até semana que vem!


Resenha por Roberta Ferreira, acompanhe ela nas suas redes sociais gatonas:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta gatah!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...